sábado, 4 de julho de 2009

A cidade da ciência

Leitores atentos devem ter notado que o intervalo entre os dois últimos posts foi maior que o normal. Mas foi por um bom motivo: eu estava casando! Foi uma correria; entre cartórios, mudança e lua de mel, nem eu tive tempo de escrever, e nem minha esposa de desenhar as ilustrações. Mas valeu a pena, é claro :)


Para começar a lua de mel, nenhuma cidade poderia ser tão apropriada como Paris. Para o casal, Paris é a cidade dos amantes. Para a minha esposa, Paris é a cidade dos artistas. Mas para mim, Paris é especial por ser a cidade da ciência.

De fato, desde a revolução francesa, os parisienses se orgulham em manter os ideais do Iluminismo (sendo essa uma das possíveis origens de um famoso epíteto de Paris: a cidade-luz). O laicismo é presente logo no primeiro item da constituição francesa, e a cultura científica permeia a cidade até nos nomes das ruas (você pode morar na esquina da Rua Kepler com a Rua Galileu, pertinho da Rua Newton e da Rua Euler). E isso sem contar que a cidade possui um enorme museu de ciências, o Citè des Sciences et de l'Industrie.

Mas o principal motivo mesmo para eu considerar Paris como a cidade da ciência data de 1889, ano em que foi terminado o maior monumento à ciência já construído: a Torre Eiffel!


A Torre Eiffel foi construída para a Exposição Universal que comemorava o centenário da Revolução Francesa, e ela era uma celebração ao triunfo da tecnologia: em sua época, era o mais alto monumento criado pelo homem; e permaneceu assim por 40 anos, até ser desbancada pelo Chrysler Building.

A torre também era o estado da arte da engenharia do século XIX. O seu criador, Gustave Eiffel, usou em seu projeto métodos geométricos para minimizar o efeito do vento, e só recentemente conseguiram resolver de forma analítica a equação que define a curva de seu perfil, uma exponencial. A solução geométrica de Eiffel era tão precisa, que mesmo sob ventos fortes, o topo da torre desloca apenas 13cm (como comparação, é menos do que o topo desloca por dilatação: se o sol bate de um lado da torre enquanto o outro está na sombra, a torre desloca 18cm).

Mas das homenagens à ciência na torre, a minha preferida é uma mais sutil, que muitos daqueles que a visitam passam sem perceber. Logo abaixo do primeiro andar, estão gravados em relevo os nomes de 72 cientistas franceses:

Poinsot, Foucault, Delaunay

Na primeira vez que vi, reconheci de imediato vários nomes, como Lavoisier, Ampère, Laplace. Mas muitos outros eu não identifiquei, e resolvi matar a curiosidade online. Qual não foi a minha surpresa ao descobrir que alguns eram tão obscuros que nem a wikipedia os conhecia!

Sendo assim, resolvi arregaçar as mangas e procurar quem eram os 72 cientistas homenageados pelo Eiffel. Abaixo, a lista completa de cientistas e alguns de seus feitos, separados pelo lado da torre em que aparecem:

Lado do Trocadero

Seguin: Inventor da ponte pênsil moderna.
Lalande: Astrônomo que nomeou a constelação do Gato.
Tresca: Criou a primeira barra de platina que serviu de referência de comprimento do sistema métrico.
Poncelet: Co-autor do teorema de Poncelet-Steiner da geometria.
Bresse: Pioneiro dos motores hidráulicos.
Lagrange: Responsável pelo Lagrangiano da física, pelos Pontos Lagragianos da astronomia e pelos polinômios de Lagrange da álgebra.
Bélanger: Criador da equação de Bélanger para o ressalto hidráulico.
Cuvier: Paleontólogo, foi o primeiro a provar que elefantes indianos, africanos e mamutes são espécies diferentes.
Laplace: Criador das transformadas de Laplace usadas no cálculo de transientes elétricos.
Dulong: Co-autor da lei de Dulong-Petit da termodinâmica.
Chasles: Autor dos teoremas de Chasles em geometria e física.
Lavoisier: Autor da lei da conservação da massa.
Ampère: Autor da lei de Ampère do eletromagnetismo.
Chevreul: Inventor da margarina, afinal, culinária é química aplicada.
Flachat: Engenheiro responsável pelo terminal de Gare Saint-Lazare, em Paris.
Navier: Co-autor das equações de Navier-Stokes da mecânica dos fluidos.
Legendre: Criador do símbolo de Legendre usado na teoria dos números.
Chaptal: Criador da chaptalização, técnica para aumentar o teor alcóolico do vinho.

Lado da ponte de Grenelle

Jamin: Criador do interferômetro de Jamin usado na análise de gases.
Gay-Lussac: Autor das leis de Gay-Lussac da termodinâmica.
Fizeau: Criou o primeiro aparato capaz de medir a velocidade da luz.
Schneider: Construiu a primeira locomotiva a vapor da França.
Le Chatelier: Autor do princípio de Le Chatelier nas reações químicas em equilíbrio.
Berthier: Descobridor da bauxita.
Barral: Pioneiro na extração da nicotina a partir da folha de tabaco.
De Dion: Criador do primeiro hangar para dirigíveis.
Goüin: Introduziu as pontes de chapas rebitadas na França.
Jousselin: Projetista do canal do rio Loire.
Broca: Anatomista que estudou a região de Broca no cérebro humano.
Becquerel: Ganhador do Nobel como descobridor da radiatividade.
Coriolis: Descobridor do efeito Coriolis em rotações.
Cail: Engenheiro responsável pelo impressionante viaduto de Fades.
Triger: Criador do processo de Triger para cavar fundações de pontes.
Giffard: Inventor do primeiro dirigível a vapor.
Perrier: Um dos primeiros a fotografar o trânsito de Vênus.
Sturm: Conhecido pelas funções de Sturm da álgebra.

Lado do Campo de Marte

Cauchy: Co-autor da desigualdade de Cauchy-Schwarz.
Belgrand: Projetista do sistema de esgotos de Paris.
Regnault: Estudioso dos gases, em sua homenagem a constante dos gases ideais recebeu a letra R.
Fresnel: Autor da lei de Fresnel para refração de ondas.
De Prony: Autor da equação de Prony para perda de carga hidráulica.
Vicat: Inventor do cimento moderno.
Ebelmen: Descobridor do ciclo geoquímico do carbono.
Coulomb: Autor da lei de Coulomb para cargas elétricas.
Poinsot: Inventor do elipsóide de Poinsot na mecânica de corpo rígido.
Foucault: Descobridor das correntes de Foucault do eletromagnetismo.
Delaunay: Estudou o problema dos três corpos aplicado ao sistema Sol-Terra-Lua.
Morin: Modelou a força de atrito estático.
Haüy: Autor da lei de Haüy da cristalografia.
Combes: Estudioso do problema da ventilação em minas.
Thénard: Descobridor da água oxigenada.
Arago: Realizou o experimento de Arago, que comprova a natureza ondulatória da luz.
Poisson: Autor da distribuição de Poisson na estatística.
Monge: Autor do teorema de Monge da geometria.

Lado da Sacre Coeur

Petiet: Criador de locomotivas.
Daguerre: Inventor do daguerreótipo.
Wurtz: Criador da reação de Wurtz da química.
Le Verrier: Um dos descobridores do planeta Netuno.
Perdonnet: Construiu as primeiras ferrovias da França.
Delambre: Mediu o comprimento de um meridiano, definindo assim o metro.
Malus: Autor da lei de Malus na polarização da luz.
Breguet: Inventor do telégrafo de Breguet.
Polonceau: Criador da estrutura conhecida como teto de Polonceau.
Dumas: Descobriu que o rim remove uréia do sangue.
Clapeyron: Autor da equação de Clapeyron para transição de fase da matéria.
Borda: Criador do sistema de votação de Borda.
Fourier: Inventor das séries de Fourier.
Bichat: Pai da histologia, o primeiro a reconhecer que órgãos são feitos de tecidos.
Sauvage: Criou os primeiros mapas geológicos da França.
Pelouze: Primeiro a calcular a massa atômica do Arsênio.
Carnot: Autor do teorema de Carnot da geometria.
Lamé: Criador da análise por harmônicas elípticas.

A lista é bem heterogênea. Ela parte de alicerces da ciência como Lagrange e Laplace, e passa por heróis locais que devem ser uma espécie de Santos-Dumont à francesa: famosos em seu país, mas nem tanto longe dele. Por fim, há os realmente obscuros. Desse último grupo, eu notei que todos deram aula na École Polytechnique, o que indica que o Eiffel deve ter colocado esses nomes para puxar o saco fazer uma homenagem a seus professores.

Visitar a torre Eiffel é uma experiência incrível, mas não foi a melhor parte da lua de mel. Uma descrição da melhor parte da lua de mel fugiria do escopo desse blog :)

18 comentários:

  1. Valeu todas as horas que você ficou garimpando o nome destes cientistas! parabéns! ^_^

    ResponderExcluir
  2. Uia, os Curie perderam a chance de aparecer na torre por 14 anos.

    ResponderExcluir
  3. Pra mim a maior pegadinha é o Carnot. Eu achei que fosse o Carnot do "ciclo de Carnot" da termodinâmica, mas o Carnot da torre é o pai do Carnot da termodinâmica!

    ResponderExcluir
  4. http://br-linux.org/2009/anos-80-codigo-fonte-de-varios-jogos-de-atari-vaza-na-internet/

    Vi sua palestra no FISL10 sobre emulação com FPGA. Sou de SP e formado em tecnologia em Sistemas Eletrônicos pelo IFSP. Mexi um pouco com FPGA (Altera - Quartus) em uma matéria. Espero que essa notícia seja útil para você. Abraços!

    ResponderExcluir
  5. seu blog é cultura na veia....
    beijos

    ResponderExcluir
  6. De todos os 75, lembrei de 17 deles.

    E o Carnot que eu relacionei inicialmente é o da termodinâmica, mas o Carnot da geometria depois foi lembrado.

    ResponderExcluir
  7. O Carnot da torre Eiffel é pai do Carnot da termodinâmica!

    ResponderExcluir
  8. tu tava no fisl10?? é o que dá ler o nome da palestra e não do palestrante, perdi essa.
    parabéns pelo blog e pelo casamento

    ResponderExcluir
  9. Nossa, visitei a torre ano passado e não atentei pra esse detalhe! :/
    mas valeu pelas informações, vou ler depois minuciosamente sobre cada cientista, a história da frança também é fantástica, e sem dúvida, cada visita que se faz a Paris você aprende coisas novas.
    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Fora aquele escritório do Eiffel que tem no alto da torre! que medo daqueles bonecos de cera!
    Nem precisa saber outras línguas para entender que todo mundo que passa por ali acha aquilo assustador! hahaha

    ResponderExcluir
  11. Maravilha de post, Ricardão. Mas confesso que ao ver o nome do Carnot pensei mesmo foi nos "Mapas de Carnot"! Seria também uma invenção desse Carnot da torre? Abraço!

    ResponderExcluir
  12. Mapas de simplificação booleana? Esses são mapas de Karnaugh, a pronúncia é a mesma, mas são de países diferentes :)

    ResponderExcluir
  13. Eu adorei o blog! virei fã! :D

    sucesso

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pela pesquisa ...

    Achei o link no ueba.com.br

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pela iniciativa de reviver os homenageados ali, nem todos tão ilustres, mas cientistas até então esquecidos.
    Vou examinarei minuciosamente no tempo livre depois do trabalho.
    Ico

    ResponderExcluir
  16. Pô Ricardo essa Lua de Mel tá demorando hein =), tenho certeza que muitas pessoas (inclusive eu =), estão anciosas pelo próximo post. Não deixa a gente na mão cara. Abraço e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir
  17. Depois de tanto tempo acho este blog numa pesquisa sobre lua e casal, adoro acompanhar suas "aventuras" pelo mundo e pela tecnologia, formam um BELO casal!!! Vc que agora tb é meu primo..rsrsrsrsr
    Marcia Ferreira ou
    Marcia Amy Black

    ResponderExcluir